antónio paiva

escritor e poeta antónio paiva

aos e às do costume

leave a comment »

há uma cambada de apoucadores, profetas de uma moralidade requentada, filhos de uma solenidade catedral, queimando incenso e entoando glórias prenhas por estigmas da estupidez, uma autêntica moléstia de criaturinhas infectadas de larval flatulência cerebral. dizem-se poetas, operários, quiçá patetas revolucionários. mas não passam de nojentos salafrários, incubadores da bisbórria, parturientes e defensores da escrita medíocre, predestinados a difundir pela via anal, tal doença eivada de crucifixos manhosos, que nada têm a haver com deuses ou religião.

mas amam, amam muito, amam muito a bajulação!, são detentores de um amor carregadinho de mulas e dinossauros, e de uma fauna subterrânea que a ciência ainda não conseguiu identificar.

são estes e estas sacanas; que me desmoronam o peito, que me apedrejam a mente, que me sufocam a inteligência, que me violam a vergonha pelo método do estrago súbito. uns e outras, prometem-me amizade eterna, prometem-me o reconhecimento da minha coerência, mas; quando decido seguir o meu caminho – escarram-me – tratam-me como um leproso.

Anúncios

Written by antónio paiva

Dezembro 18, 2010 às 5:24 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: